Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Nilópolis começa a demolição para a construção do novo Hospital Juscelino Kubitscheck

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

Na manhã de hoje, 15 de maio, a Prefeitura Municipal de Nilópolis começou a demolição do HMJK – Hospital Municipal Juscelino Kubitscheck.

DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

Desde a segunda-feira passada, dia 12 de maio, uma equipe de pedreiros está fazendo a limpeza do local, separando material reciclado do entulho para começar a demolição. “Primeiro separamos o material, depois damos início à demolição. Como o hospital está em ruínas, estamos tendo de quebrar todo o terceiro andar com as britadeiras. Quando colocarmos o terceiro andar abaixo, vamos demolir, com a retroescavadeira, o 1º e 2º andar”, frisou o Secretário Municipal de Obras Roberto Peçanha.

Segundo o secretário, em 45 dias todo o prédio estará demolido e o local limpo para começar a execução do projeto para a construção do novo hospital municipal de Nilópolis. O novo JK será um dos mais modernos do Estado com 70 leitos, maternidade ultramoderna, centro cirúrgico com 5 salas, 10 leitos de UTI – Unidade de Tratamento Intensivo Adulto, e mais 5 leitos de UTI Infantil.

DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

O prefeito Alessandro Calazans conseguiu que o Governo do Estado invista 18 milhões de reais, e a Prefeitura de Nilópolis se comprometeu em investir mais 1 milhão de reais para ajudar a finalizar a tão esperada reforma e ampliação do HMJK – Hospital Municipal Juscelino Kubitschek. A conclusão da reforma e construção do HMJK está prevista para daqui a 16 meses.

“Mais uma vez o Governador Sérgio Cabral, e o Vice-Governador Pezão, dão um presente para Nilópolis. A população terá uma unidade de excelente qualidade”, disse o prefeito Alessandro Calazans.

HOSPITAL MUNICIPAL
O HMJK ficará assim. Foto: Divulgação/PMN

Vale ressaltar que o prefeito Alessandro Calazans já havia garantido 10 milhões para as reformas do JK, baseado num primeiro projeto. Pensando em tornar o hospital ainda mais equipado, Calazans elaborou um novo projeto necessitando de mais 8 milhões para a conclusão das obras, onde está incluída a reforma da antiga Casa de Saúde Santa Ignês como Leito de Retaguarda.

Desde o início do ano de 2013, o HMJK está fechado, pois foi encontrado todo quebrado, com aparelhos sucateados, e toda a parte estrutural danificada.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais