Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Nilópolis começa a demolição para a construção do novo Hospital Juscelino Kubitscheck

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI
DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

Na manhã de hoje, 15 de maio, a Prefeitura Municipal de Nilópolis começou a demolição do HMJK – Hospital Municipal Juscelino Kubitscheck.

DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

Desde a segunda-feira passada, dia 12 de maio, uma equipe de pedreiros está fazendo a limpeza do local, separando material reciclado do entulho para começar a demolição. “Primeiro separamos o material, depois damos início à demolição. Como o hospital está em ruínas, estamos tendo de quebrar todo o terceiro andar com as britadeiras. Quando colocarmos o terceiro andar abaixo, vamos demolir, com a retroescavadeira, o 1º e 2º andar”, frisou o Secretário Municipal de Obras Roberto Peçanha.

Segundo o secretário, em 45 dias todo o prédio estará demolido e o local limpo para começar a execução do projeto para a construção do novo hospital municipal de Nilópolis. O novo JK será um dos mais modernos do Estado com 70 leitos, maternidade ultramoderna, centro cirúrgico com 5 salas, 10 leitos de UTI – Unidade de Tratamento Intensivo Adulto, e mais 5 leitos de UTI Infantil.

DEMOLIÇÃO HMJK
Foto: Divulgação/PMN

O prefeito Alessandro Calazans conseguiu que o Governo do Estado invista 18 milhões de reais, e a Prefeitura de Nilópolis se comprometeu em investir mais 1 milhão de reais para ajudar a finalizar a tão esperada reforma e ampliação do HMJK – Hospital Municipal Juscelino Kubitschek. A conclusão da reforma e construção do HMJK está prevista para daqui a 16 meses.

“Mais uma vez o Governador Sérgio Cabral, e o Vice-Governador Pezão, dão um presente para Nilópolis. A população terá uma unidade de excelente qualidade”, disse o prefeito Alessandro Calazans.

HOSPITAL MUNICIPAL
O HMJK ficará assim. Foto: Divulgação/PMN

Vale ressaltar que o prefeito Alessandro Calazans já havia garantido 10 milhões para as reformas do JK, baseado num primeiro projeto. Pensando em tornar o hospital ainda mais equipado, Calazans elaborou um novo projeto necessitando de mais 8 milhões para a conclusão das obras, onde está incluída a reforma da antiga Casa de Saúde Santa Ignês como Leito de Retaguarda.

Desde o início do ano de 2013, o HMJK está fechado, pois foi encontrado todo quebrado, com aparelhos sucateados, e toda a parte estrutural danificada.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...