Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todos os dias

Publicidade

Cresce o número de animais abandonados nas ruas de Nilópolis

Em Nilópolis é cada vez maior o número de animais deixados à própria sorte pelos donos, que muitas vezes alegam não ter mais condições de criá-los. Entre os fatores para o abandono dos bichos de estimação estão a troca de residência, questões financeiras e mudança de cidade.

ANIMAIS ABANDONADOS
Animais ficam abandonados na rua. Foto: Divulgação

Sem uma política pública que procure amenizar esse problema, muitos dos animais abandonados são acolhidos por alguns moradores, que acabam se solidarizando com a situação dos animais. Cães e gatos que não conseguem ter a sorte de encontrar moradores solidários, acabam perambulando pelas ruas do município, e muitas das vezes acabam sendo vítimas de atropelamentos, causando a morte de dezenas deles, e outros ficam feridos ou com doenças graves.

Danielle Silva, é moradora do bairro Olinda e sem contar com nenhum apoio governamental, faz por conta própria um trabalho de conscientização da população para acabar com o abandono de cães, lutando pela castração dos animais em massa e pela gratuidade desse serviço para pessoas de baixa renda e a favor do fim do comércio de criadouros ilegais. “Apenas uma cadela, com toda a sua descendência, pode gerar mais de 67 mil filhotes, durante seis anos. O serviço de castração custa em média, R$ 100,00 e nem todo mundo tem esse dinheiro, o governo poderia fazer esse serviço gratuitamente, assim diminuiria ainda mais a quantidade de animais nas ruas”, salienta.

Danielle também aponta o comércio de animais de criadouros ilegais, como um dos culpados pelo problema. “As pessoas compram animais de raça com a intenção de cruzá-los e vender seus filhotes, mas esquecem de todo o cuidado que se deve ter com eles e que muitos podem nascer doentes ou com alguma deficiência física, impossibilitando o responsável de vendê-los. Isso faz com que o mesmo jogue o animal na rua por não ter condições de criá-lo ou apenas para que outras pessoas não o vejam”, completou.

Além de Danielle, é possível encontrar no município, outros moradores que atuam de forma independente, ou seja, não contam com qualquer tipo de ajuda do governo, sobrevivendo apenas de doações que recebe de moradores.

Se você encontrou um cão ou gato abandonado e quer saber como ajudar, o primeiro passo é levar o animal a um veterinário para verificar seu estado de saúde. Se o animal for agressivo, chame uma instituição especialista. Veja outras dicas:

– Tente suprir as necessidades primeiras desse animal (água e comida).

– Se o animal não for agressivo, procure levá-lo até um veterinário para verificar o estado de sua saúde;

– Coloque cartazes, com a descrição do animal em clínicas veterinárias, pet shops e outros locais de circulação de pessoas na região onde você mora;

– Fale com os vizinhos e comerciantes do bairro, já que o dono do animal pode estar fazendo o mesmo caso ainda queira encontrá-lo;

– Verifique se alguém deixou anúncio com a descrição do bicho em algum site.

– Caso não consiga encontrar o dono do animal, tente lembrar de amigos, parentes, colegas e conhecidos que poderiam acolher o cachorro;

– Encontre um abrigo enquanto você prepara o animal para a adoção. O ideal é que seja um espaço seguro e tranquilo. Até que seja examinado e vacinado, é prudente que o animal fique separado de outros bichos;

– Leve o animal a um veterinário para ser vacinado, vermifugado e castrado;

– Divulgue a descrição do animal e encaminhe-o para adoção.

Nunca abandone um animal, veja a melhor forma de encontrar um novo lar para seu cão:

1- Nunca abandone seu cão ou gato;

2- Antes de ser doado, o animal deve passar por um veterinário para ser vacinado, vermifugado e castrado;

3- Pense com cuidado e veja se entre seus parentes, amigos ou vizinho não há ninguém que possua condição adequada e queira adotar o animal;

4- Divulgue a adoção com cartazes em pet shops, clínicas veterinárias e demais pontos de grande circulação de pessoas;

5- Caso o animal seja de raça, você pode entrar em contato com associações idôneas de criadores da raça;

6- Murais virtuais na internet também podem ser uma boa saída. Você pode procurar por feiras ou eventos de adoção.

Saiba como adotar um animal

No Rio de Janeiro, a Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa) recolhe animais perdidos, que são colocados para adoção. Diariamente a SUIPA resgata, nas ruas, cerca de 10 animais e recebe, no abrigo, outros 50. Grande parte vítima de atropelamentos e da crueldade dos próprios “donos” que descartam seus cães e gatos doentes, idosos, e também filhotes recém nascidos. Os animais não são objetos para serem descartados e tem os seus direitos assegurados por lei.

Vale lembrar que a comercialização de cães e gatos nas ruas é proibida, assim como a distribuição de animais a título de brinde ou sorteio. Denuncie estes casos a Polícia ou através do Disque-Denúncia (2253-1177).  Se você deseja adotar, levar algum animal pra doação ou ainda contribuir com a SUIPA, acesse http://www.suipa.org.br. A SUIPA funciona na Av. Dom Hélder Câmara, 1801, Benfica. O horário de funcionamento é de Seg. a Sáb.: 8:00 as 17:30h e Domingos e feriados de 8:00 às 14:00 h.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais