Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todos os dias

Publicidade

Presidente da Câmara de Nilópolis é investigado pelo Tribunal de Contas do Estado

O presidente da Câmara de Nilópolis, Jorge Henrique da Costa Nunes (SD), é o principal alvo de uma investigação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que apura irregularidades cometidas por oitenta e quatro políticos, ex-presidentes e presidentes de Câmaras de Vereadores do estado.

Dedinho, como é conhecido popularmente, e os demais são investigados por suspeitas de desvios do dinheiro público em farras de viagens de parlamentares para fazer cursos pelo país. Em 2015, o tribunal determinou que ele apresentasse documentação que comprovasse os gastos ou devolvesse o equivalente a R$ 7,6 milhões aos cofres públicos.




O advogado de Dedinho, Leonardo Moazer, afirmou que recorreu à Corte. “Não tenho dúvidas de que vamos alterar essa decisão administrativamente ou judicialmente. Pena que demore tanto”, lamentou Moazer. Segundo relatórios dos técnicos, de 2010 a 2014, a Câmara de Nilópolis gastou R$ 8,4 milhões com viagens de vereadores, sem comprovar os locais e os beneficiários. Só em 2012 foi o equivalente a R$ 1,6 milhão em diárias, o que representa 35,43% dos pagamentos relativos às despesas orçamentárias do parlamento naquele ano.

Os técnicos ressaltam ainda que a Câmara foi inundada, por coincidência, em 10 de novembro de 2014 sete dias depois de ser anunciada a investigação pelo TCE e documentos destruídos. “Por causa dos danos provocados pela chuva, tivemos até que mudar de lugar. Pagar R$ 7 milhões é inviável. Se for questionar, o tribunal é um Deus nos acuda”, afirmou Dedinho, numa crítica implícita ao fato de seis conselheiros estarem afastados do cargo por suspeita de corrupção.




Como o Jornal O Dia mostrou, na edição deste domingo (03), as inspeções de técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) constataram irregularidades em 48 dos 91 parlamentos do Rio de Janeiro. As auditorias alcançaram R$ 33 milhões. Deste total, casos envolvendo R$ 18,7 milhões já foram levados, pelo menos, uma vez a sessão plenária.

*Com informações do Jornal O Dia




você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais