Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Ex-prefeito de Nilópolis é impedido de concorrer nas eleições

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

O Tribunal Regional Eleitoral(TRE-RJ) reafirmou a condenação do ex-prefeito Alessandro Calazans por abuso de poder político durante a última campanha nas eleições de 2016.

Calazans chegou a ser condenado na 1ª instância mas recorreu. Mesmo assim, já na 2ª instância, os desembargadores mantiveram a condenação e ainda aumentaram a multa que o ex-prefeito tem que pagar. O valor passou de 30 mil UFIR para 100 mil UFIR que é o equivalente a R$ 330 mil. Além de multa, o político ficou inelegível por 8 anos.

Relembre o caso

Tabloide que seria distribuído pelas residências de Nilópolis. Foto: Reprodução EXTRA

Em maio de 2016, ano de eleição para prefeito na cidade, um denúncia anônima revelou uma quantidade de 18 mil exemplares de um tabloide com “publicidade da prefeitura de Nilópolis”. Entretanto, várias característica revelaram uma promoção da imagem do então prefeito e futuro candidato a releição. A partir disso, o Ministério Público eleitoral ingressou com tal processo contra Alessandro Calazans.

Governo Rejeitado

Após vencer o ex-prefeito Sérgio Sessim em 2012, Alessandro Calazans  se mostrou como um promessa de renovação. Durante o mandato, houve polêmicas e vários fatos que aumentaram sua rejeição, que foi decisivo para o término de seu mandato com cerca de 85% de rejeição. Ao longo dos 4 anos, Nilópolis perdeu: o Teatro Municipal Tim Lopes, O Posto Central na Av. Getúlio Vargas, os prédios da Câmara de Vereadores e da Prefeitura na Av. Mirandela.

Além disso, o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek foi fechado e demolido. Na época, Calazans afirmou que o hospital precisava de uma nova estrutura pois a mesma estava em ruínas. Depois de uma extensa obra, a unidade hospitalar foi inaugurada em agosto 2016. Parecia um progresso mas, em pouco tempo, a população percebeu que o prédio de 5 andares só funcionava no térreo, somente a emergência.

Juntando todos esses casos, seria difícil não ter algum tipo de investigação pelas autoridades legais. Além desse processo eleitoral, o Tribunal de Contas do Estado(TCE-RJ) já emitiu um parecer negativo sobre as contas da Prefeitura na gestão Calazans.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais