Meio Ambiente

Proposta de boicote ao Carrefour cresce nas redes sociais

CACHORRO ASSASSINADO
O animal foi espancado até a morte. Foto: Divulgação
Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou pelo Telegram CLIQUE AQUI
Uma enxurrada de mensagens nas redes sociais pedindo que as pessoas deixem de fazer compras nas lojas físicas e na internet da rede francesa Carrefour vem crescendo assustadoramente. O protesto é uma reação após um cão ser morto a pauladas por seguranças de uma unidade da rede em Osasco, SP.

Uma enxurrada de mensagens nas redes sociais pedindo que as pessoas deixem de fazer compras nas lojas físicas e na internet da rede francesa Carrefour vem crescendo assustadoramente. O protesto é uma reação após um cão ser morto a pauladas por seguranças de uma unidade da rede em Osasco, SP.

O animal teria sido assassinado a pauladas por um segurança do hipermercado. Há a suspeita de que o cão também tenha sido envenenado. De acordo com os ativistas, o cachorro havia sido abandonado no estacionamento do Carrefour Osasco cerca de uma semana antes de ser morto. Alguns funcionários da rede e de lojas que ficam no centro de compras vinham alimentando o animal. Até que um segurança da rede o agrediu até que as patas quebrassem, na última quarta-feira (28).

Com o cão sangrando, rastejando e bastante fragilizado, a Zoonoses de Osasco foi chamada. Representantes da loja teriam dito que o animal havia sido atropelado ali próximo, na avenida dos Autonomistas, versão contestada por testemunhas. O cachorro foi socorrido pela zoonoses, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Desde então em praticamente todas as redes sociais há um movimento contra a rede francesa, que diante declarou, por meio de suas redes sociais, que vai colaborar e acompanhar as investigações e que repudia maus tratos aos animais. Ativistas da causa animal acusam a rede de omissão sobre o caso.

Maltratar animais é crime, que pode render de três meses a um ano de prisão e multa. A punição é aumentada em até um terço se houver morte. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Carrefour divulgou a seguinte nota:

“A rede informa que repudia veementemente qualquer tipo de maus-tratos. Esclarece ainda que, preventivamente, afastou a equipe responsável pela segurança do local no dia da ocorrência até que a rigorosa apuração em curso seja concluída e as devidas providências adotadas. Reforça também que, assim que notou a presença do animal nas dependências da loja, o acolheu, oferecendo água e comida, até que a equipe do Centro de Controle de Zoonoses de Osasco chegasse ao local para o devido atendimento”.

Rede envolvida em problemas

A partir de 2007 a rede sofreu no Brasil pelo menos quatro processos contra violência, racismo e homofobia, além da execução de um homem, por humilhação pública contra empregados e violência infantil.

Em Nilópolis o Carrefour esteve presente através da marca Champion, quando em 1999 adquiriu a loja da rede Continente no Centro do município. Em 2005 após sucessivos prejuízos, a rede Champion sai de cena. No município, a loja foi vendida ao Prezunic.

Publicidade