Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Carnaval

Beija-Flor de Nilópolis: “A gente já sabia que não ia ser bom”, diz Gabriel David

GABRIEL DAVID
Gabriel (à direita). Foto: Divulgação
Adicione nosso número de WhatsApp: +55 (21) 98946-3738 e envie uma mensagem com o texto "NILÓPOLIS" e receba, com exclusividade, as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet.

Adicione nosso número de WhatsApp: +55 (21) 98946-3738 e envie uma mensagem com o texto "NILÓPOLIS" e receba, com exclusividade, as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet.

O empresário Gabriel David, de 21 anos, que herdou o comando da Beija-Flor em 2018, afirmou que não teria feito nada diferente após a classificação que deixou a Azul e Branca em 11º lugar em 2019. Ele acrescentou que já sabia que o resultado não seria bom. Foi o pior rendimento da agremiação na era Sambódromo e o segundo pior da história. Depois, em uma rede social, Gabriel pediu desculpas à comunidade e disse que o resultado não era esperado.

“Eu não teria feito nada diferente. Eu queria ver o impacto que esse desfile ia dar na Avenida. Não foi bom, mas a gente já sabia que não ia ser bom fazendo ele”, declarou Gabriel, filho do presidente de honra, Anísio Abraão David. No entanto, o próprio Gabriel David havia dito o contrário no fim do desfile: “Vão ter que ralar pra tirar esse título da gente.”

Gabriel aplaudiu de pé a Mangueira quando a concorrente foi anunciada campeã, durante a apuração no sambódromo, mas contestou a avaliação dos jurados no quesito Evolução. O manda-chuva da Beija-Flor ressaltou que mesmo assim a escola decidiu apostar no risco.

“Eu particularmente não entendi muito bem o quesito Evolução. Os outros quesitos eu entendo analisando por alto. Evolução foi um quesito que eu não esperava mesmo (o mau rendimento). Todos os outros eram um risco. A gente sabia do risco que estava correndo, podia acontecer. Acho que agora é realmente a gente conversar, ver e tentar melhorar. Eu acredito que a Beija-Flor vai voltar muito mais forte do que ela veio este ano”, acrescentou.

BEIJA-FLOR 2019
Foto: Reprodução da Internet

Com o enredo “Quem não viu vai ver… As fábulas do Beija-Flor”, a Beija-Flor, quinta a desfilar no domingo, recontou sua própria história de 70 anos, e recorreu a fábulas infantis para relembrar os enredos que marcaram seus Carnavais. O samba empolgou o público, mas o gigantismo da escola de Nilópolis não deu as caras na Sapucaí e a relação das fábulas com a história da agremiação foi de difícil entendimento.

Foi o pior rendimento da Beija-Flor na era sambódromo, superando a sétima colocação de 2014 com o enredo em homenagem a Boni. Em 1956, quando os desfiles ainda não ocorriam na Marquês de Sapucaí, a Beija-Flor ficou em 12º lugar, mesma posição de 1964, quando foi rebaixada. A escola de Nilópolis também caiu em 1960, com o sexto lugar na colocação geral.

Publicidade