Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Poder Legislativo Polícia

Presidente da Câmara de Vereadores de Nilópolis é preso

JORGE HENRIQUE DA COSTA NUNES
Vereador Jorge Henrique da Costa Nunes. Foto: Divulgação
Clique AQUI e receba, com exclusividade, as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet.

Policiais civis prenderam na manhã desta quinta-feira (9) o presidente da Câmara de Vereadores de Nilópolis, Jorge Henrique da Costa Nunes (SD). Segundo a investigação, Dedinho, como é conhecido o parlamentar mandou matar um adversário político. Outras quatro pessoas são procuradas.

Policiais civis da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam na manhã desta quinta-feira (9) o presidente da Câmara de Vereadores de Nilópolis, Jorge Henrique da Costa Nunes (SD). Ele foi preso por volta das 6h em  sua casa, no bairro de Olinda. Segundo a investigação, Dedinho, como é conhecido o parlamentar, mandou matar um dos seus pares. Outros procurados são Ronaldo Izidoro e Valdevar Pereira da Silva Júnior.

A polícia afirma que Dedinho comanda uma organização criminosa e encomendou a morte do vereador e policial civil Roberto de Barros Batista (PTB).

Roberto, porém, está vivo. O homem contratado para executá-lo, identificado como Fernando Boia de Faria, desistiu e passou o serviço para uma outra pessoa, mas o plano não deu certo. Essa pessoa revelou o plano para o próprio Roberto, dizendo que Fernando foi contratado por Ronaldo para executá-lo. Tempo depois Fernando acabou morto pelo grupo de Dedinho em represália.

ROBERTO DE BARROS BATISTA
Roberto de Barros Batista seria morto. Foto: Divulgação

R$ 200 mil

Tudo teria começado após Roberto de Barros ter pedido um mandado de segurança para anular um ato de Dedinho sobre a disputa pela Presidência da Câmara de Nilópolis. Segundo o delegado Moisés Santana, responsável pela investigação, insatisfeito pelo “desaforo”, Dedinho teria encomendado a morte de Roberto por R$ 200 mil.

“O plano não deu certo. Essa terceira pessoa contratada para matar Betinho lhe revelou a trama. Fernando acabou morto, e o motorista dele sofreu uma tentativa de homicídio. O Valdevar auxiliava a quadrilha vazando informações passadas pelo próprio Roberto sobre sua rotina. “O Dedinho está preso temporariamente e vai responder pelo crime de homicídio e as investigações continuam para apurar o envolvimento de outras pessoas e mais detalhes do plano”, acrescenta o titular da DHBF.

JORGE HENRIQUE DA COSTA NUNES
Momento em que o vereador é preso em casa. Foto: Reginaldo Pimenta / Agência O Dia

Investigações e Buscas

Policiais ainda fazem buscas e apreensões na casa do parlamentar e já apreenderam cadernos com anotações. Eles também procuram por provas no gabinete do político, na Câmara de Vereadores. Os policiais também estão em Duque de Caxias, ainda na Baixada; na Penha, Marechal Hermes e Vila da Penha, na Zona Norte da capital.

As investigações começaram no ano passado, quando, em uma operação da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), foi apreendido um caderno de Ronaldo com anotações no Complexo da Penha. Nele, havia informações sobre o planejamento do crime contra o vereador Roberto de Barros Batista.

De acordo com a Polícia Civil, durante as investigações, ficou claro que a organização criminosa criada por Dedinho comprova a existência de um problema antigo na Baixada Fluminense, onde matadores de aluguel organizam escritórios do crime para neutralizar rivais políticos.

“Não mata nem uma barata”

ADVOGADO ODAIR LIMA
O advogado do presidente da Câmara, Odair Lima, com o titular da DHBF, Foto: Reginaldo Pimenta / Agência O Dia

O advogado de defesa de Dedinho, Odair Lima, disse que a investigação da Polícia Civil não tem “nexo”.
“A comunidade sabe que ele é da paz e atuante e todos da cidade gostam dele. Ele é candidato a prefeito de Nilópolis e (a partir de agora) haverá denúncias falsas. São denúncias falsas que não existem e não há provas. Ele não mata nem uma barata. Desafeto político todos têm, mas não há nada de fato. Quando você trabalha para o povo você tem desafetos”.

Vice assume

Enquanto a situação de Dedinho não se definir, quem assume a presidência da Casa é o vereador Douglas Farias (MDB). Parlamentares ainda não se pronunciaram oficialmente, porém, a maioria de forma extra-oficial, comentaram estarem surpresos com a prisão.

TCE condena por gasto milionário

A vida do presidente da Câmara neste ano não anda nada fácil. No último dia 22 de março, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), condenou Jorge Henrique à devolver aos cofres públicos R$ 6.821.520. O valor oriundo dos cofres da Câmara Municipal, de acordo com o órgão, teria gasto de maneira irregular com concessão de diárias para participação de vereadores e servidores em eventos fora do estado do Rio de Janeiro entre 2016 e 2018.

Ainda de acordo com o TCE/RJ não ocorreu pesquisa de mercado ou consulta sobre cursos gratuitos disponibilizados por diversas entidades governamentais ou demais capacitações oferecidas por instituições de renome em locais próximos ao município, ou até mesmo ensino a distância.

Quinta vez presidente

Jorge Henrique cumpre o quinto mandado como presidente da Câmara Municipal de Nilópolis. A posse da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, para o biênio 2019-2020, foi realizada no dia 02 de janeiro deste ano.

A diretoria é composta ainda pelo vereador Douglas Alexandre da Silva (PMDB), vice-presidente. O primeiro secretario é Pedro Alfredo Perigolo (MDB) e o segundo é Marcos Cesar Barros de Castro Junior (PT). Já o primeiro suplente é Jorge Moreira da Silva (PROS) e o segundo suplente é Jorge Rezende da Silva (PHS).

A nova Mesa Diretora foi eleita em chapa única, com 7 votos (entre 12 vereadores). A eleição foi realizada no dia 16 de agosto de 2017.

* Com informações do Jornal O Dia

2 Comentários

Clique aqui para comentar

Publicidade