Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Em nota, Vasco explica demissões de trabalhadores

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

Em crise econômica, antes mesmo da pandemia do novo coronavírus (covid-19), o Vasco viu o quadro de asfixia financeira se agravar nos últimos tempos com a paralisação das competições de futebol. Para reduzir custos, o clube carioca anunciou a demissão de 50 funcionários. Duas semanas antes, a direção cruzmaltina havia proposto a suspensão do contrato de trabalho de 250 pessoas.

“Em um primeiro momento, no intuito de salvaguardar empregos, a Diretoria Administrativa optou por reduzir os vencimentos de alguns funcionários e suspender temporariamente o contrato de trabalho de outros, com base na Medida Provisória 936/2020, publicada no dia 1/04/2020. Lamentavelmente, diante das circunstâncias, foi preciso tomar medidas mais duras”, diz o clube em nota divulgada na noite desta segunda (11).

Antes da interrupção das atividades esportivas, o clube carioca ainda disputava a Copa Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Campeonato Carioca. Mas quem acompanha o cotidiano do Gigante da Colina sabe que dívidas fiscais, trabalhistas e atrasos de salários de jogadores e funcionários já se tornaram rotina no clube.

Confira a íntegra da nota do Vasco:

“O Club de Regatas Vasco da Gama comunica que, em face dos desafios econômicos agravados com a crise do novo coronavírus, precisou readequar seu quadro de colaboradores.

Em um primeiro momento, no intuito de salvaguardar empregos, a Diretoria Administrativa optou por reduzir os vencimentos de alguns funcionários e suspender temporariamente o contrato de trabalho de outros, com base na Medida Provisória 936/2020, publicada no dia 1/04/2020. Lamentavelmente, diante das circunstâncias, foi preciso tomar medidas mais duras.

Aos funcionários desligados nesta segunda-feira (11/05), foi oferecido, sem exceção, um acordo para parcelamento de débitos em atraso, com pagamento da primeira parcela no ato. Também pelo acordo, fica estipulado que o Clube terá de arcar com multa de 50% em caso de inadimplência do pagamento da parcela, devendo haver uma tolerância de 30 (trinta) dias após o vencimento para aplicação da multa. O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM CLUBES, FEDERAÇÕES E CONFEDERAÇÕES ESPORTIVAS E ATLETAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO acompanhou todo o processo.

A decisão da Diretoria Administrativa foi tomada considerando as implicações orçamentárias com a crescente queda de receitas, aliada ao cenário extremamente desafiador dos próximos meses em todos os âmbitos. Tais medidas não seriam adotadas não fossem no intuito de assegurar a sobrevivência financeira do Clube.

O Club de Regatas Vasco da Gama agradece aos funcionários ora desligados pelo profissionalismo e dedicação durante o período em que estiveram a serviço da instituição.

À Diretoria Administrativa”

você pode gostar também
Comentários
Carregando...