Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Defesa apresenta balanço de ações contra covid-19

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

O Ministério da Defesa apresentou hoje (25) balanço das ações promovidas na missão das Forças Armadas de apoio a iniciativas de prevenção e combate à epidemia do novo coronavírus. Segundo o órgão, os militares auxiliaram em frentes diversas, como logística, produção de medicamentos, fabricação de equipamentos de proteção e apoio a populações indígenas.Defesa apresenta balanço de ações contra covid-19 3

A operação específica no combate à covid-19 foi iniciada no dia 19 de março, oito dias após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar a pandemia mundial envolvendo o novo coronavírus. Foi organizada atuação juntamente a órgãos federais e assistência a estados e municípios por 10 comandos integrados à iniciativa.

Segundo o Ministério da Defesa, a operação mobilizou mais de 30 mil militares. Destes, 20 morreram em função da covid-19 e 7,2 mil foram infectados ao longo do período. No total, foram realizadas mais de 1 mil horas de voo, em viagens para objetivos como o transporte de insumos e medicamentos. Por via rodoviária, foram carregadas 15 toneladas de insumos durante o período.

As Forças Armadas distribuíram 572 mil kits de alimentos a pessoas de menor renda e reforçaram 2,5 mil barreiras sanitárias, adotadas em diversas cidades como forma de evitar a circulação de pessoas diante das medidas de distanciamento social.

Além disso, o Exército contribuiu para o direcionamento da estrutura de produção tanto para a fabricação de insumos e equipamentos de proteção individual quanto para medicamentos. Foram elaboradas 263 mil máscaras cirúrgicas para profissionais de saúde.

Já na área de tratamento, o Exército ampliou a produção de cloroquina. De acordo com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, 1 milhão de unidades, que seriam destinadas originalmente para utilização no combate à malária, já tinham sido fabricadas.

“Recebemos mais insumos, aumentamos a produção e estamos com capacidade de mais de 1,8 milhão [de unidades], mas não distribuídos ainda. Exército não está fazendo de agora, ele aumentou a fabricação”, afirmou Azevedo em resposta a perguntas de jornalistas se o trabalho havia sido encomendado a partir da política do governo de adotar a substância.

A atual gestão do Ministério da Saúde, comandada interinamente pelo general Eduardo Pazuello, mudou o protocolo para que a cloroquina e a hidroxicloroquina sejam recomendadas como alternativa a pacientes com covid-19 também em casos leves, além de ter passado a distribuir o medicamento por meio do Sistema Único de Saúde.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais