Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

crime vitimou 1.154 mulheres fluminenses em 2019

O Dossiê Mulher, divulgado no final do mês de agosto deste ano pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), vinculado à Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag), traz os primeiros dados estatísticos sobre o perfil das vítimas de importunação sexual, que deixou de ser uma contravenção penal e passou a ser um crime tipificado no Código Penal (artigo 215-A) a partir de 24 de setembro de 2018 com a sanção da lei nº 13.718.

O documento mostrou que, no ano passado, 1.154 mulheres foram vítimas de importunação, sendo que 55,4% não conheciam o autor e 73,5% eram solteiras. No total, 49,2% eram brancas, 33,8% pardas e 13,8% pretas, além disso 42,7% tinham entre 18 e 29 anos. Os crimes aconteceram, em sua maioria, entre segunda-feira e sexta-feira em locais fora da residência da vítima.

Tanto os horários quanto os dias em que a importunação foi mais registrada indicaram que as mulheres foram vitimadas nos transportes públicos na ida e volta do trabalho. A 15ª edição do Dossiê Mulher mostrou que 45,8% dos casos aconteceram na capital, sendo 32,9% durante a tarde e 31,6% durante a manhã.

O crime de importunação sexual se refere à prática de ato libidinoso (de caráter sexual), na presença de alguém, sem sua autorização e com a intenção de satisfazer lascívia (prazer sexual) própria ou de outra pessoa. O autor pode pegar uma pena de reclusão de um a cinco anos. Essa mesma lei também tipifica a divulgação de cena de estupro ou estupro de vulnerável. Para a diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz, é importante conscientizar as mulheres sobre a possibilidade de punir quem pratica o crime de importunação sexual.

– É muito importante que a mulher tenha ciência de que se trata de um crime e que ela pode denunciar. Isso pode ajudar a quebrar esse ciclo de violência. Um homem que comete o crime de importunação, caso não seja punido, pode subir degraus na escalada de violência e, quem sabe, praticar um estupro ou até mesmo um feminicídio – afirmou.

Em 2019, segundo o Dossiê Mulher, 351 mulheres foram vítimas de estupro de vulnerável e divulgação de cena de estupro. A exposição do ato criminoso se dá no ambiente virtual em 30,2%.Perfil das vítimas: – 48,1% tinham entre 18 e 29 anos (adolescentes de 12 a 17 anos representam 14,2% do total de vítimas)- 62,7% eram solteiras- 18,8% eram casadas ou viviam junto- 8% separadas- 0,9% viúvas- 38,7% foram vitimadas pelo companheiro ou ex (pornografia de vingança)- 30,8% foram vitimadas por uma pessoa desconhecida.

function appendFbScript() { var js, id = 'facebook-jssdk', fjs = document.getElementsByTagName('script')[0];

if (document.getElementById(id)) return; js = document.createElement('script'); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&appId=1705095126453512&version=v2.0"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);

window.fbAsyncInit = function () { FB.init({ appId: '1705095126453512', xfbml: true, version: 'v2.0' }); FB.Event.subscribe('comment.create', function (comment_data) { console.log(comment_data); update_comments_count(); }); FB.Event.subscribe('comment.remove', function (comment_data) { update_comments_count(); });

function update_comments_count(comment_data, comment_action) { jQuery.ajax({ type: 'GET', dataType: 'json', url: 'https://mesquitaonline.com/wp-admin/admin-ajax.php', data: { action: 'clear_better_facebook_comments', post_id: '67513' }, success: function (data) { // todo sync comments count here! data have the counts }, error: function (i, b) { // todo } } ) }; };

appendFbScript(); }

appendFbScript();

})();

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais