Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Publicidade

Ato no Rio chama atenção para proteção de pessoas LGBTQIA+ na pandemia

A orla da praia de Copacabana ganhou hoje (27) as cores do arco-íris em ato que chamou atenção para a proteção de pessoas LGBTQIA+ e as mortes na pandemia. No mês em que se celebra o Orgulho LGBTQIA+, bolas coloridas foram fincadas nas areias da praia para chamar atenção para a conquista de direitos dessa população e a necessidade de conscientização, sensibilização e respeito à diversidade.Ato no Rio chama atenção para proteção de pessoas LGBTQIA+ na pandemia 5Ato no Rio chama atenção para proteção de pessoas LGBTQIA+ na pandemia 6

O ato foi promovido pela ONG Impulse Rio, voltada para a prevenção às Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e o HIV/Aids. A ação contou também com a distribuição de panfletos educativos e preservativos, além de cartazes incentivando o uso de máscaras e a vacinação contra a covid-19.

“Celebramos o orgulho que temos, mas sabemos de todas as demandas e lutas por direito social e estamos empenhados nisso também”, diz o diretor de eventos da ONG, Dantas Junior.

Segundo Dantas, a população LGBTQIA+ está entre as mais atingidas pela pandemia. “A taxa de desemprego aumentou exponencialmente, atingindo a sociedade como um todo. Mas, a população LGBTQIA+, que já é marginalizada, principalmente as pessoas trans, acabaram sofrendo ainda mais”, diz. A ONG passou, por exemplo, a distribuir cestas básicas para atender pessoas sem segurança alimentar.

O estudo Diagnóstico LGBTQIA+ na pandemia, conduzido entre 28 de abril a 15 de maio de 2020, no início da pandemia, mostrou que 21,6% dos entrevistados estavam desempregados e que três a cada dez estavam sem trabalho há pelo menos um ano. 

Além disso, uma em cada cinco pessoas LGBTQIA+ não possuía nenhuma fonte de renda individual e uma em cada quatro perdeu emprego em razão da pandemia. A pesquisa foi feita pelo coletivo #VoteLGBT em parceria com a Box1824 e foi coordenada por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Além desta, outras ações ocorrem na cidade do Rio devido ao mês do Orgulho LGBTQIA+.

Orgulho LGBTQIA+

O Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+ é celebrado em 28 de junho, em homenagem à Revolta de Stonewall, em 1969, que ocorreu em resposta à invasão da polícia de Nova York ao bar Stonewall Inn, no bairro do Greenwich Village. Os policiais começaram a prender os frequentadores do local, mas foram surpreendidos pela reação de centenas de pessoas revoltadas com a recorrente opressão policial contra pessoas LGBTQIA+. A reação se transformou em um marco representativo na luta por direitos civis.

De acordo com o último relatório anual de mortes violentas de LGBTQIA+ no Brasil, elaborado pelo Grupo Gay da Bahia, que há 40 anos coleta essas informações, a cada 26 horas um LGBTQIA+ é assassinado ou se suicida vítima da LGBTfobia. Em 2019, 329 lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e mais tiveram morte violenta no Brasil: 297 homicídios (90,3%) e 32 suicídios (9,7%).

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais

%d blogueiros gostam disto: