Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Nilópolis se destaca na educação inclusiva

Setembro Azul. Assim é chamado o mês dedicado à inclusão das pessoas surdas. E a única escola bilíngue da rede municipal de Nilópolis, a Escola Poeta Carlos Drummond de Andrade, no bairro Nossa Senhora de Fátima, comemorou a data realizando um evento no dia 27 de setembro. ‘Somos Todos Alunos’, esse foi o nome do projeto promovido pela equipe liderada pela diretora Edmê Medeiros.

“Toda a equipe escolar está de parabéns pela união e pela iniciativa. Todos trabalham em conjunto, atendendo as necessidades dos alunos e temos professores para atender cada necessidade dos alunos”, felicitou Edmê, ao ver que o professor de educação física e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) prepararam atividades na quadra de esportes da unidade escolar e exibiram um vídeo.

O professor e intérprete Alexandre Souza falou sobre o filme:

“O filme que passamos explica o motivo do Setembro Azul, das lutais sociais em prol da valorização do surdo. A escolha da cor é porque os nazistas usavam o azul para identificar as pessoas com deficiência nos campos de concentração ”, esclareceu ele que é filho de pais surdos.

Estudante do 9º ano, o youtuber Matheus Costa, 20 anos, ao lado da mãe Vera Lúcia Santos, acompanhava a programação e contou o que pretende fazer no futuro.

“Quero namorar, cuidar dos meus pais, de minha irmã e de meu sobrinho”, afirmou ele, que tem síndrome de down e foi prejudicado nos estudos por causa da pandemia.

Representante do setor de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação, Silvânia Dias fez uma avaliação do trabalho de inclusão dos surdos.

“ Em 2017 demos um pontapé, começamos a fazer um trabalho para formação de professores na área da educação especial. Agora direcionamos os alunos com surdez para serem atendidos especialmente nas salas de recursos do Poeta Carlos Drummond e da Escola Maria da Conceição Cardoso”, afirmou.

Vera Lúcia Santos afirmou que a reunião era de grande importância.

“ A maioria das pessoas tratam nossos filhos de forma diferente. Essas palestras ajudam a desfazer preconceitos”, contou ela, ao lado de Matheus.

Aluna do primeiro ano, Ana Beatriz, 7 anos, disse que participou de vários desafios na tarde daquele dia. Ela também participa da Sala de Recursos, onde professores especializados auxiliam os alunos com deficiência: sejam autistas, surdos, com síndrome de down ou outros.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação / PMN
você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais

%d blogueiros gostam disto: