Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Moradores de Nilópolis sofrem com a falta do ônibus direto para o Metrô

Em 1998, com a inauguração da RJ-081, oficialmente denominada Rodovia Carlinhos da Tinguá, e popularmente chamada de Via Light era inaugurada. Com ela também veio uma forma mais rápida de se chegar aos bairros atendidos pelo Metrô. Através das linhas de integração Metrô-Ônibus Baixada, os moradores de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis reduziram em pelo menos 30 minutos o tempo de viagem dos seus municípios até a estação Pavuna.

Por cerca de dez anos os moradores de Nilópolis puderam contar com a linha 652 (Nilópolis x Metrô Pavuna), operada pela empresa Trans1000, para chegar com mais rapidez e conforto ao Metrô. Até mesmo as tarifas eram mais baratas para quem se utilizava do serviço integrado. Com a crise financeira que atingiu a empresa Trans1000, houve um fusão da linha 652 com a linha 651, que ligava Mesquita à Pavuna, extinguindo a linha que saia da Rodoviária de Nilópolis.

TRANS1000
Linha 651. Foto: Reprodução da Internet

 

Com o novo itinerário, que agora saia de Mesquita e passava por todo o Centro de Nilópolis, também surgiram problemas. O intervalo entre os ônibus aumentou consideravelmente e a vantagem de se chegar mais rápido ao Metrô acabou. A situação da empresa foi piorando e os serviços também começavam a prejudicar os nilopolitanos.

Nos anos de 2013 e 2014 a empresa foi impedida pelo Departamento de Transportes Rodoviários (DETRO) de operar linhas intermunicipais, inclusive as que faziam a ligação com o Metrô. Com isso, o governo praticamente decretou o fim da ligação mais rápida através de ônibus com o Metrô da Pavuna.

“Eu era usuário da linha e chegava bem mais rápido ao Metrô, hoje dependo de uma linha de ônibus que dá uma volta enorme para chegar a estação da Pavuna, isso sem contar com o desconforto”, relatou o vigilante Wilson Lima.

Além dele, o vendedor Joel, morador do Cabuís, também sente saudades de quando podia acordar mais tarde pra chegar ao trabalho:

“É sempre assim, o povo sempre que sofre. Essa linha era a mais rápida e passava na porta da minha casa. Hoje tenho que acordar mais cedo para pegar outra condução onde o tempo de viagem é 30 minutos maior”, diz Joel.

Após pedido de vereador, órgão nega existência da linha

LEANDRO HUNGRIA
Vereador Leandro Hungria. Foto: Divulgação

 

Em 02 de junho deste ano, o vereador Leandro Hungria (Solidariedade), apresentou um Requerimento na Câmara Municipal, que foi aprovado por unanimidade, onde solicitou o retorno da operação da linha, porém, a resposta dada pelo Departamento de Transportes Rodoviários (DETRO) foi surpreendente: De acordo com o órgão a linha nunca teria existido.

“Apresentei este pedido diante dos inúmeros munícipes que procuraram nosso gabinete e apresentaram essa necessidade. Imediatamente apresentei um requerimento, onde pedi a volta da linha, mas a resposta do órgão concedente foi da inexistência do itinerário. Vou buscar outros meios para que nossos munícipes não continuem a sofrer com a falta de transportes. Temos a Via Light, que poderia ser usada novamente por uma linha de ônibus direta para a estação do Metrô e vou continuar nessa luta”, concluiu o parlamentar.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais

%d blogueiros gostam disto: