Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todos os dias

Publicidade

Prefeitura de Nilópolis realiza eventos voltados ao mês da Consciência Negra

Em novembro, mês em que é evidenciada a luta pela Consciência Negra, as secretarias da Prefeitura de Nilópolis tiveram uma programação direcionada à causa. O dia 20 de novembro, além de homenagear as culturas e as lutas dos povos negros, reforça a importância da sociedade como um todo refletir e agir para combater o racismo estrutural no país.

No Paiol, os profissionais da Creche Natércia Rosa usam livros escritos por negros, com temática inspirada no tema afro. A Praça Vereador Orlando Hungria se transformou no local da celebração do mês da Consciência Negra, com o evento Zangu Nilopolitano. A Prefeitura criou o projeto ‘Procon na Igualdade’, que tem como objetivo criar um canal para receber denúncias de pessoas que sofrem racismo.

Nilópolis possui diversas religiões de matrizes africanas, pensando nisso, a Prefeitura disponibilizou desde o dia 20 de novembro o cadastro de casas de matrizes africanas e grupos culturais. O trabalho é realizado pela Superintendência de Promoção de Igualdade Racial em parceria com a Superintendência dos Conselhos.

Creche Natércia Rosa

Autores negros que abordam a temática da cultura negra e da valorização da negritude, estão no dia a dia de 65 crianças na creche municipal Natércia Rosa, no bairro do Paiol, em Nilópolis. Os profissionais de educação, comandados pela diretora Adilene Santos, buscam mostrar que não existe um tom de pele, mas vários, e que as crianças devem perceber o outro como ele é.

Na Natércia Rosa, as pedagogas passaram aos pais e responsáveis poemas, histórias e outras atividades que pudessem servir para as pessoas em casa e no trabalho se enxergarem num espelho. Gravaram, por exemplo, o vídeo ‘Black, Black, Black’, que trata do respeito à cor. O audiovisual foi produzido, gravado e editado pela equipe.

Zangu Nilopolitano celebra mês da Consciência Negra

No dia 17 de novembro, a Praça dos Estudantes foi o local da celebração do mês da Consciência Negra. A Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, por intermédio da Superintendência de Promoção de Igualdade Racial, promoveu o Zangu Nilopolitano.

O evento contou com exposição de livros e revistas sobre a verdadeira história da matriz negra, além dos pratos e craquelê em garrafas, trabalho feito por jovens nilopolitanos que buscam gerar renda. Quem parou para prestigiar a ação pôde degustar pratos típicos da culinária angolana, a feijoada e a moamba de galinha. O batuque de Jongo não deixou ninguém parado.

Procon inicia ação contra discriminação racial

Aproveitando o mês de Consciência Negra, a Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, por meio da Superintendência da Promoção de Igualdade Racial, iniciou a ação ‘Procon na Igualdade’, com o objetivo de fortalecer o combate à discriminação racial em estabelecimentos comerciais e coibir a forma ‘mascarada’ de racismo. Foi criado um canal para receber denúncias de pessoas que sofrerem racismo ou qualquer tipo de discriminação no comércio da cidade e, além do atendimento específico do Procon, será oferecido atendimento psicossocial às vítimas. As denúncias podem ser feitas na Secretaria de Cidadania, na sede da prefeitura, às segundas, quartas e sextas-feiras, das 9h às 13h.

Prefeitura cadastra povos e comunidades de matrizes africanas

Desde o dia 20 de novembro, o link para registro de casas de matrizes africanas e grupos culturais está disponível no site da Prefeitura. Além do inventário de casas e grupos, a intenção da Prefeitura é integrar a todos, por intermédio das superintendências de Promoção de Igualdade Racial em parceria com a superintendência dos Conselhos, em parceria com o grupo Omo Obá. O link está disponível no endereço eletrônico http://nilopolis.rj.gov.br/site/cadastrodosgruposetnicos/

O cadastro desenvolverá um diagnóstico referente a quais atividades e onde estão localizados, objetivando, junto aos órgãos da gestão pública, o levantamento do quantitativo relacionado às comunidades, povos, casas, agentes, grupos culturais tradicionais de matriz africana presentes em Nilópolis.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação / PMN
você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais