Nilópolis Online
Notícias de Nilópolis todo dia

Publicidade

Campanha nas redes sociais pede que moradores elejam candidatos de Nilópolis em 2022

Instrumento da soberania popular, o voto representa o meio pelo qual exercitamos o sufrágio universal, ou seja, o direito de votar e ser votado. Em 2022 os nilopolitanos irão mais uma vez às urnas para escolher presidente da República, governador, senadores e deputados federais e estaduais.

Uma campanha que viralizou nas redes sociais e está sendo disseminada pelos aplicativos de mensagens instantâneas, incentiva os moradores de Nilópolis a escolherem candidatos nascidos ou que morem no município. Sem autoria conhecida, o vídeo de 44 segundos é recheado de frases de efeito, num claro objetivo de chamar a atenção para a necessidade do município ter seus próprios representantes, tanto na Câmara Federal como na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ).

“Realmente é muito interessante essa campanha “bairrista”, ainda mais em um município tão pequeno, onde desde os seus primórdios a política é uma constante, que mexe com toda a população e sempre houve pelo menos um representante tanto em Brasília quanto na ALERJ. Como não há um autor conhecido, acredito que a iniciativa possa ter partido de um cidadão comum, talvez contrariado com a falta de investimentos dos governos federal e estadual”, disse o especialista em marketing eleitoral, Alexandre Medeiros.

Veja o vídeo

A campanha apresenta dados interessantes, dentre eles, a referência às eleições de 2018, quando Nilópolis deixou de contar com representantes nos poderes legislativos federal e estadual. O vídeo aponta que 50% dos votos válidos para os cargos de deputado federal e estadual, foram dados para candidatos cuja base eleitoral é de outro município. Ao todo Nilópolis tem ao todo 127.652 eleitores aptos a votar.

Ao final o vídeo faz um apelo, sem apresentar nenhuma assinatura ou dados que possam caracterizar quem seria o autor da campanha.

Ainda de acordo com Alexandre Medeiros, a campanha acaba beneficiando todos os possíveis candidatos que tenham a sua base eleitoral em Nilópolis:

“Confesso que é uma estratégia maravilhosa e vai atingir em cheio o eleitorado que está insatisfeito com as ações que dependem dos deputados federais e estaduais para acontecerem. Acho ainda que não vão parar por ai, em cidades pequenas do interior isso é bem comum, e lá os moradores defendem com unhas e dentes a sua cidade, chegando até mesmo a fazer campanhas contra políticos de fora. Não acho que esse nível vá chegar aqui em Nilópolis, mas deve vir mais coisa por ai”, finaliza o especialista.

Sem representantes desde 2018

SIMÃO SESSIM
Simão Sessim. Foto: Câmara dos Deputados.

 

Um dos maiores representantes de Nilópolis na Câmara Federal foi Simão Sessim. Ele acumulou um total de dez mandatos consecutivos, sendo eleito pela primeira vez em 1978. Em 2018 não conseguiu se eleger, perdendo a cadeira na Câmara Federal.

Além de Simão Sessim, na história recente, outros nilopolitanos já ocuparam uma cadeira no plenário federal, dentre eles o ex-prefeito Manuel Rosa, o Neca, que ficou na suplência nas eleições de 2010 e foi efetivado no mandato de Deputado Federal em 3 de janeiro de 2013; e Dr. Reynaldo Gripp, que exerceu como suplente, o mandato de Deputado Federal na legislatura 1999-2003, de 5 de junho a 11 de outubro de 2001, de 6 de novembro de 2001 a 3 de abril de 2002, reassumindo o mandato em 15 de outubro de 2002. Assumiu e foi efetivado no mandato de Deputado Federal na legislatura 2003-2007, em 15 de setembro de 2005.

DR. REYNALDO GRIPP
Dr. Reynaldo Gripp. Foto: Redes Sociais

 

Uma infeliz coincidência: Simão Sessim faleceu em 2021, em decorrência da Covid-19 e Dr. Reynaldo Gripp sofreu um infarto fulminante em 2019, que o matou. Já Manuel Rosa tem optado por colocar seu filho, Rodrigo Bilard em evidência, tendo concorrido para prefeito nas eleições de 2020, não conseguindo se eleger.

RICARDO E FARID
Farid e Ricardo Abrão. Foto: Reprodução da Internet

 

Já na ALERJ, Nilópolis também já chegou a ter mais do que um representante por legislatura. Farid Abrão e seu filho, Ricardo Abrão, representaram o município juntamente com Alessandro Calazans.

Farid Abrão faleceu em 2020 em decorrência da Covid-19.

ALESSANDRO CALAZANS
Alessandro Calazans. Foto: Reprodução da Internet

Novos nomes

MARCELO SESSIM
O médico Marcelo Sessim. Foto: Divulgação

 

Na tentativa de mudar a realidade e conquistar o direito de representar os nilopolitanos nas esferas federal e estadual, alguns políticos já anunciaram que podem se candidatar a um dos cargos. Dentre eles estão os herdeiros de Simão Sessim e Farid Abrão.

O médico Marcelo Sessim anunciou nas redes sociais que deve concorrer pela primeira vez a um cargo eletivo. Ele divulgou que pretende se candidatar a deputado estadual. Já seu primo, Ricardo Abrão (filho do ex-prefeito Farid Abrão) já anunciou que deve concorrer a uma cadeira na Câmara Federal.

NECA E RODRIGO NECA
Manuel Rosa e seu filho, Rodrigo Neca. Foto: Redes Sociais

 

Com relação a Manuel Rosa ainda há uma incógnita. Não foi decidido ainda se ele ou o seu filho, Rodrigo Billard, estarão na disputa e por qual cargo.

RAFAEL NOBRE
Presidente da Câmara, vereador Rafael Nobre (PTB). Foto: Divulgação

 

Representando a nova geração de políticos nilopolitanos, o presidente da Câmara Municipal, vereador Rafael Pereira Nobre, já deixou claro a sua intenção de tentar representar Nilópolis na ALERJ. Outros que já anunciaram as suas pretensões em buscar o mesmo objetivo são os vereadores Anderson Campos, Wagner Almeida (Farrusquinha) e Edvan Gomes (Russão Gomes).

Mas até as 19h do dia 15 de agosto muita coisa ainda pode mudar. Será nessa data que os partidos, as federações e as coligações deverão solicitar à Justiça Eleitoral o registro das candidaturas.

Calendário eleitoral de 2022

As eleições estão marcadas para o dia 2 de outubro, quando os brasileiros vão às urnas para eleger presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno será realizado no dia 30 de outubro.

Alguns prazos já começaram a valer desde o dia 1º de janeiro, como a obrigatoriedade de registro de pesquisas eleitorais, a limitação de despesas com publicidade dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais e a proibição da distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios a cidadãs e cidadãos por parte da Administração Pública. Há exceção em casos de estado de calamidade ou emergência pública e programas sociais que já estavam em andamento.

Entre 20 de julho e 5 de agosto é permitida a realização de convenções partidárias para deliberar sobre coligações e escolher candidatas e candidatos à presidência da República e aos governos de Estado, bem como aos cargos de deputado federal, estadual e distrital. Legendas, federações e coligações têm até 15 de agosto para solicitar o registro de candidatura dos escolhidos. Todos os pedidos de registro aos cargos de presidente e vice-presidente devem ser julgados pelo TSE até 12 de setembro.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais

%d blogueiros gostam disto: